POBRE NÃO PODE PASSAR EM CONCURSO PÚBLICO

Pobre como conceito para esta publicação é aquele cidadão que ganha um salário mínimo para si ou para sua família, e acredite, existem muitas pessoas nesta condição, ou seja, muito pobre não pode passar em concurso público.

Não basta o desafortunado estudar muito, superar a concorrência e conseguir lograr aprovação em concurso público, ele ainda precisa assumir e para isso, necessita também obter aprovação nas demais fases.

É certo que cada certame possui suas particularidades, mas a título de exemplos quero pegar os concursos policiais, ok…?

Após ser aprovado a pessoa precisa se submeter a diversas baterias de novos testes, sendo o TAF, Avaliação Médica, Vida Pregressa e Psicológica.

Para o TAF ele precisará controlar alimentação, praticar exercícios (ter tempo para isso), além de realizar consulta médica para receber um laudo permitindo a realização do teste.

Depois do TAF vem a avaliação médica, a parte mais cara de tudo, são tantos exames requeridos, com tempo curto para entrega e preço altíssimo, o pobre coitado não consegue atendimento público, não tem cartão de crédito que atenda ao custo e reze para não precisar de correções, como por exemplo tratamento odontológico.

Após a avaliação médica, o desafortunado precisa despender dinheiro com inúmeros nada consta, em que pese muitos deles esterem disponíveis na internet, boa parte custam um absurdo. Certidões civis, criminais, eleitorais, de interditos, de protesto, folha de antecedentes criminais serão exigidos.

Após tudo isso… ainda tem a avaliação psicológica que reprova muito, se queres garantir?! faça um cursinho, compre uma apostila para não marcar bobeira e reprovar justamente na última fase.

É lógico, cada um de nós tem uma realidade e a realidade de muitos é fazer concurso em outro Estado da Federação, e aí sim as coisas podem extrapolar as finanças, custo de viagem, hospedagem, alimentação, traslado e tudo mais que pode dar errado.

É só um desabafo, é só um alerta, antes de se inscrever em um concurso tenha certeza, você precisará de uma poupança se for pobre e neste ponto lhe desejo sorte em dobro, ou seja, sorte no concurso e sorte para que esta não seja a sua realidade.

Agora pense, concurso é uma forma de ascensão social, então quais são as chances do assalariado, da população ribeirinha, dos filhos de pais que sofrem muito para colocar o sustento em casa, as chances de quem se quer tem livros para comprar passar e tomar posse…?

E tem gente que ainda acha que concurso é questão exclusiva de mérito!

Mérito pressupõe igualdade de condições. Para nossa tristeza, em matéria de concurso, não há igualdade de condições.

Pobre não pode passar em concurso público, e isso é uma dura e triste realidade.

 

Mateus Santana

Graduado em direto pela Universidade Católica de Brasília, em Teologia pela faculdade Phiapi, é amante de tecnologia, filosofia, fotografia e cinema.

OPINE